Artigosgestao financeira

É de conhecimento geral que uma boa gestão financeira é importante para qualquer negócio. O planejamento financeiro na advocacia é fundamental para se manter competitivo no mercado. Ele é adotado principalmente pelos advogados que entendem que seu trabalho é um negócio. Mas por que ele é tão importante? Há riscos para quem não adota essa medida? Como é possível fazer um planejamento para o escritório? Confira a seguir a resposta para todas essas perguntas!

 

Qual a importância do planejamento financeiro na advocacia?

O planejamento financeiro na advocacia faz parte da estratégia do negócio. Daí, já é possível presumir sua enorme importância. Planos e previsões, que incluem retiradas de pró-labore dos advogados e investimentos, honorários, fluxo de caixa, tudo isso deve ser gerenciado e analisado para alcançar os objetivos do escritório.

 

O planejamento é, por isso, uma medida essencial para o crescimento e o sucesso do negócio. Advogados devem ter informações precisas sobre as finanças. A organização dos dados financeiros é o que possibilita adotar estratégias que fomentem a competitividade e o destaque no mercado.

Quais os riscos para quem não faz esse planejamento?

A ausência de um planejamento financeiro na advocacia traz muitos problemas para o gestor do escritório.

 

O primeiro deles é a falta de verba para investimentos futuros. Assim como fazemos planos com as finanças na vida pessoal para manter o padrão de vida após a aposentadoria, o pensamento em um negócio é semelhante. Sem identificar como a saúde financeira do escritório está, é impossível separar recursos destinados a investimentos.

 

Outro risco que o advogado corre sem um planejamento financeiro é o pagamento de juros e multas, já que é mais difícil ter controle dos prazos de vencimento das dívidas. Você sabe qual o ciclo financeiro das operações realizadas no escritório? Existe um mapeamento das despesas? Se não há, é muito difícil cumprir as obrigações em dia.

 

A tomada de decisões também fica prejudicada diante da ausência de planejamento. Isso porque ele é a forma de gerenciar o grande volume de dados que o pagamento de despesas e honorários, o fluxo de caixa e os investimentos geram. Se não há controle, é difícil ter visibilidade da informação, ativo estratégico que subsidia as decisões dos gestores do escritório.

 

Por fim, é possível entender que, acumulando todos esses riscos, a última consequência para um escritório de advocacia é o comprometimento do crescimento e da continuidade das atividades. Sem planejamento, é muito fácil entrar em dificuldades financeiras que podem levar o negócio à falência.

Como fazer um planejamento financeiro no meu escritório de advocacia?

Um bom planejamento financeiro na advocacia envolve algumas etapas fundamentais.

 

A primeira delas é analisar as metas financeiras traçadas para o ano anterior. Se elas foram cumpridas, eram factíveis. Se ficaram longe da expectativa, é preciso refletir sobre as causas. Se elas não foram estabelecidas, o primeiro passo será, então, estabelecer metas.

 

Isso significa saber quanto se pode gastar e quanto se pode investir. É projetar gastos e faturamento. E aqui entra uma dificuldade da advocacia, já que os honorários dependem do resultado das ações judiciais, ou seja, há certa imprevisibilidade.

 

Em outras palavras, é o desenho de uma estrutura financeira. Considerando os últimos meses, faça a média dos custos administrativos (tributos, gastos com pessoal, estrutura, marketing etc.) e planeje a recorrência disso para o período seguinte.

 

Em seguida, estipula uma meta de faturamento para, no primeiro momento, alcançar o equilíbrio (lucro zero). Como todo empreendedor quer ter lucro, projete também uma meta de lucro. O valor total deve ser desdobrado em metas mensais.

 

Ou seja, as ações defendidas pelo escritório e as consultorias prestadas devem atingir o valor mensal. A última ação é, por isso, dividir o faturamento mensal pela quantidade média de processos. Esse será o ticket médio de processos dentro do mês.

 

O planejamento financeiro é o norte de toda a estratégia do escritório de advocacia. Ele é fundamental para a competitividade do negócio, já que interfere positivamente na tomada de decisões.

 

Se você quer usufruir dos benefícios que um planejamento financeiro oferece para seu escritório de advocacia, procure já uma consultoria de confiança para ajudá-lo na implementação desse plano.

 

Jorge Majeski Jr.

Atua como consultor de finanças pessoais e empresariais há mais de 5 anos, ministra cursos de gestão financeira para advogados e atua como docente em cursos de pós-graduação (UP/Jurídico) e na Escola Superior de Advocacia da OAB; é formado em Administração de empresas pela Universidade Federal do Paraná e especialista em Finanças. É articulista de publicações voltadas ao mercado da advocacia.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment