Artigos

A Engenharia Júridica

 

Atualmente, com toda a inovação que já está sendo utilizada na advocacia, é importante despertar e ensinar os profissionais que já atuam no direito, ou estão ingressando agora, para esta realidade inovadora, colocando-os sempre no centro das técnicas e soluções de gestão jurídica.

O universo jurídico está em constante e acelerada modificação, pesquisas comprovam que muitas atividades e funções em todas áreas ainda não foram criadas. Certamente no mundo jurídico não será diferente.

Aprender a lidar com os desafios dos novos tempos é essencial. Ainda é uma parcela pequena, mas cada vez mais ou escritórios de advocacia e departamentos jurídicos procuram por novas tecnologias jurídicas e pelos produtos oferecidos pelas chamadas Legaltechs ou Lawtechs, com metodologias de gestão e mudança de cultura que os auxiliem a atuarem com sucesso no mundo digital. 

 

Tecnologia na advocacia: software de gestão jurídica 

 

Hoje a gestão jurídica em escritórios, departamentos jurídicos e em órgãos jurisdicionados é centralizada principalmente em softwares de gestão legal.

Porém, não é somente pesquisar na internet o mais vendido e contratar. É muito importante a escolha correta da ferramenta, bem como a sua customização e sua utilização plena. Existe um grande número de softwares no mercado, com as mais diversas funções. 

 

Por que possuir um “software de gestão”? 

 

Possuir um software de gestão é importante, porque ele é o grande centralizador de toda a operação jurídica, é de fato considerado o coração da Controladoria Jurídica e por isso merece todo o destaque.

Contemporaneamente, os sistemas de gerenciamento, os softwares de gestão voltados para a advocacia, evoluíram muito. A maioria deles  hoje é web, alguns possuem aplicativos e muitas vezes possuem mais de 200 funcionalidades, como APIs que “conversam” com outros sistemas, facilitando muito a rotina jurídica. 

O objetivo da maioria destas empresas é o mesmo: proporcionar para o usuário, para o consumidor, melhora na rotina, aumento de produtividade, segurança e visão gerencial de toda a operação. 

É aí que inicia toda a “engenharia jurídica”. Significa que o advogado agora tem que entender de programação? Não. Sem dúvida não. O que precisamos entender é que as duas ciências caminham juntas e se complementam. 

 

Importância do software jurídico na produtividade e competitividade do seu escritório 

 

Analisando o futuro do mercado jurídico, conhecendo melhor as características de cada negócio e entendendo quais as necessidades de cada nicho de mercado, podemos gerir melhor a nossa banca ou nosso departamento jurídico.

A título exemplificativo, uma banca que tenha como cliente pessoa física, como trabalhista ou previdenciário, tem como grande diferencial (muitas vezes sua maior dificuldade) o atendimento a este cliente. O cliente sempre irá entrar em contato com o escritório para saber “como está o meu processo”. 

Desta forma, é recomendável que o gestor desta banca, no momento em que for escolher o sistema, lembre desta necessidade e contrate uma ferramenta que sirva para este tipo de demanda. Ou seja, precisará de um software que forneça de forma simples e clara as informações sobre o processo desse cliente. E um dos objetivo deste artigo justamente estimular este gestor a encontrar soluções voltadas para as necessidades do mercado. 

Além disso, muitas vezes perguntamos em um departamento jurídico quantas audiências os terceirizados farão ao longo semana? Quantos prazos eles têm naquele dia? E não é incomum a resposta não aparecer. Os gestores não possuem os dados do seu próprio negócio, o que demonstra a grande ausência de controle ainda dentro das organizações que atuam no mundo jurídico.

 

A escolha do software de gestão

 

Conforme destacado acima, existem muitos sistemas no mercado, e a esta altura o leitor deste artigo já poderia começar a conhecer alguns softwares caso exista a necessidade de adquirir um (se não tiver nenhum) ou a necessidade de migrar para outro (quando o software contratado não atende a contento). 

O que se busca é inicialmente despertar esta curiosidade no profissional.

Porque a escolha é algo muito particular, mas as funções têm que servir de forma ampla para a gestão do departamento jurídico ou escritório.

Algumas funções são cruciais para a escolha do sistema, como por exemplo uma boa “agenda”, relatórios customizáveis, GED, dentre outras. 

 

Claro que o profissional que vai auxiliar na escolha da ferramenta deve também levar em conta o budget daquele que está adquirindo, o quanto aquele gestor pode e quer investir. Assim como as funções, os valores variam muito.

 

O que observar ao pesquisar um sistema jurídico

 

Ao pesquisar um sistema jurídico, avalie bem as funcionalidades, aqui vão algumas recomendações:

– Faça testes gratuitos das funcionalidades;

–  Avalie o custo-benefício a longo prazo e contrate um que seja capaz de resolver os problemas mais urgentes do seu escritório ou departamento jurídico; 

– Dê preferência aos softwares com maior tempo de atuação no mercado, que compreendem a sua realidade e procuram inovar e evoluir junto com o seu escritório, sempre buscando o que há mais moderno em tecnologia. 

Portanto meus caros, antes de decidir, aproveite o período de testes para avaliar também a qualidade do atendimento e do suporte técnico – esses detalhes farão muita diferença no futuro. 

Sem dúvida nenhuma é uma das maiores fontes de reclamação dos profissionais, e talvez até um dos estímulos para a pouca adesão do software dentro do escritório. 

Se o seu escritório está justamente enfrentando o desafio da escolha de um software, sinta- se à vontade para entrar em contato com a equipe da ÉOS, temos um time de especialistas que podem contribuir com sua decisão. 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment