Societário

Como seguir quando o ciclo se encerra?

Existe vida após a saída de um sócio? Como evitar?

 

Uma sociedade, na maioria das vezes, surge como qualquer relacionamento. A relação começa com um namoro em que tudo faz sentido. Existe uma afinidade emocional baseada na amizade e empatia. É aquela fase da paixão, em que tudo é perfeito e o seu parceiro (ou sócio) nem sequer tem defeitos. Os namorados (os sócios) decidem dar um passo adiante e resolvem casar (constituir uma sociedade).

Mas o tempo vai passando, e as diferenças começam a aparecer. No lugar daquela paixão incondicional, vão surgindo divergências de percepção, ideias e valores.

Em alguns casos, a paixão é transformada em amor, mesmo com todos os obstáculos do relacionamento, e as dificuldades são superadas com base em cumplicidade, alinhamento e conversa – muita conversa. Entretanto, nem sempre isso acontece, e, por vezes, os envolvidos resolvem se separar e seguir caminhos diferentes. Aparecem conflitos de ideias, divergências de visão, valores e princípios. A relação passa a ficar tão degastada que até pequenas atitudes ganham uma enorme proporção.

Tanto num casamento quanto numa sociedade, a separação nunca é assunto agradável e é inevitável que afete todos os envolvidos.

Neste artigo, você encontrará dicas importantes para que a saída de um sócio seja a menos traumática possível para a sociedade.

 

Decidimos que acabou. E agora?

 

Da mesma forma que um casal tem o dever de proteger o filho num divórcio, os sócios têm a obrigação de proteger a sociedade acima de tudo.

Por este motivo, é essencial que a sociedade elabore um bom acordo de sócios, abordando todos os pontos principais que devam regular a relação. Aqui, vale a famosa frase “o combinado não sai caro.”

Muitos casos de dissolução de sociedade poderiam ser resolvidos de maneira amigável, mas acabam resultando em litígio por conta da informalidade que rege a relação. Diversas sociedades têm como contrato social um documento genérico, padronizado, que não antecipa possíveis problemas de extinção societária.

Se este é o caso do seu escritório, o ideal é tentar chegar a uma solução de maneira racional. Lembre-se de manter o foco no seu negócio, para não perder espaço no mercado.   Tente manter a calma e ter jogo de cintura. Alimentar a raiva ou a decepção somente prejudicará a negociação.  Tente chegar a um denominador comum. Faça concessões, se for preciso. O importante é encarar a realidade e traçar uma estratégia para manter o negócio vivo.

 

Leia mais sobre o assunto no artigo “Qual a melhor forma de contratação de um advogado?”

 

Como manter a equipe segura sobre o futuro da sociedade?

 

Normalmente, a equipe sente o movimento da saída do sócio antes mesmo de ser anunciada. O clima fica estranho e a ausência de informações faz com que o grupo comece a sentir insegurança sobre o futuro do escritório.

Nesses casos, é importante ser transparente e informar toda a equipe do ocorrido. Uma situação que não é bem resolvida pode impactar diretamente a marca do escritório – e, o que é pior, o próprio cliente.

O sócio tem uma função importante e estratégica, que é manter toda a equipe unida e fortalecida, prezando por um bom clima organizacional.

É fundamental encarar a realidade e traçar estratégias para que o impacto seja o menor possível. Não esqueça de comunicar seus clientes de forma pessoal, sempre que possível, passando segurança de que nada mudará na condução de seus processos.

 

É possível evitar o fim de uma sociedade?

 

Sim, é possível evitar o fim de uma sociedade!

Assim como ocorre em um casamento, ninguém celebra um contrato de sociedade pensando que ele não dará certo. A união de advogados tem como objetivo atingir o sucesso e construir um escritório promissor. Para isso acontecer, a escolha assertiva do sócio é fundamental.

Para escolher o sócio ideal para o seu escritório, primeiramente, tenha em mente quais atributos são importantes para você. Pense em quais valores o sócio agregará à sociedade e quais princípios são inegociáveis.

Formada a sociedade, o próximo passo é elaborar um bom acordo de sócios, capaz de disciplinar todos os pontos sensíveis da vida societária.

O acordo de sócios deverá abordar questões como distribuição de lucros, ingresso de novos sócios, saída, exclusão e sucessão. Outro tópico importante para o sucesso da sociedade é a definição das atribuições dos sócios, o que vai muito além da mera prática do exercício da advocacia.

Paralelamente, deve-se definir, desde o início, a missão, a visão e os valores do escritório, o que é essencial para manter os sócios olhando para a mesma direção e em busca dos objetivos definidos. O sucesso de uma sociedade dependerá muito da postura individual e da maturidade profissional dos sócios.

 

Ficou interessado?

Que tal entrar em contato conosco? Nós, da ÉOS, temos a expertise e as ferramentas necessárias para realizar o mapeamento de perfil do seu escritório e realizar uma avaliação enriquecedora. Podemos colaborar para a identificação e adoção de estratégias que impactarão forte e positivamente na gestão de capital humano, qualidade do ambiente e produtividade do seu escritório.

 

AUTOR

CLAUDIA SUZANO 

Mentora em Estratégia e Societário.

Advogada formada na Faculdade de Direito Curitiba e consultora especialista em Estratégia e Societário para escritórios de pequeno, médio e grande porte. Tem experiência em gestão das áreas administrativa e financeira de empresas de serviços. Pós-graduada em Direito Processual Civil pelo Instituto de Direito Romeu Felipe Bacellar (Curitiba). Pós-graduanda em Direito Societário pela EBRADI – Escola Brasileira de Direito.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment