Artigos

Já montou o planejamento do seu escritório para esse ano? Quais são suas perspectivas de crescimento?

 

Começamos 2019 relembrando sobre o crescimento da economia em tempos de globalização e como o avanço da tecnologia geraram aos serviços uma aceleração rápida de demanda e retorno imediato da prestação de serviço.

Diante disso, os escritórios de advocacia foram diretamente atingidos, aumentando a concorrência, gerando certa instabilidade econômica nas receitas gerando também grande dificuldade no controle da demanda.

 

Sabe-se que muitos advogados e escritórios de advocacia de sucesso não chegam necessariamente ao patamar de expertise, do conhecimento, da qualidade, e sim, por conta de qualidades não jurídicas dos serviços que realizam e do modo como organizam suas estratégias.

 

A estratégia é a visão do futuro, organizando suas ideias e passos de amanhã hoje, e executando o necessário para que eles aconteçam e os resultados apareçam. “O Futuro dependerá daquilo que fizermos no presente” Mahatma Gandhi.

 

Então, vai ficar parado ou vai pensar na boa gestão do seu escritório?

 

Inicialmente é preciso ter condições de visualizar que de uma forma simplificada o escritório de advocacia, para que a gestão seja dividida em: pessoas, clientes, serviços e finanças. Imagine o seguinte esquema:

(Paim, Flavio, 2019)

 

Denota-se que o esquema representa a gestão interna do escritório, o ambiente interno juntamente ao externo. Por isso a necessidade de conhecer muito bem os fatores internos e externos que interferem no sucesso do seu negócio.

 

Devido às mudanças a advocacia antiga, clássica, perdeu seu sentido. O advogado não consegue mais manter todas as funções de gestão de um escritório e, ainda, apresentar esse novo padrão de serviço exigido. É em razão disso que administrar, gerenciar e executar os serviços de advocacia exigiu dos profissionais desse mercado certa readequação dos métodos utilizados para o trabalho.

 

Com o objetivo de atender ao fato traçado para o futuro, faz-se necessário compreender o conceito de planejamento e o objetivo de desenvolvê-lo. Entende-se, do conceito de planejamento, que há uma cadeia utilizada para enquadrar os objetivos da empresa, metas e princípios, interagindo com a política de mercado – deixando o ambiente organizado e adequado ao quanto planejado.

 

O que define o planejamento estratégico é o modus operandi de contabilizar o ambiente externo juntamente com o interno, proporcionando uma postura correspondente ao direcionamento inicialmente traçado.

 

Aliás, a análise do planejamento estratégico é diária, necessitando de um acompanhamento específico, buscando-se uma constante melhoria nos projetos que estão sendo concretizados. Logo, o planejamento estratégico traz o que há de mais moderno para performance administrativa, para otimizar o tempo junto aos recursos disponíveis e organizando os dados para ampliar o tempo de dedicação e aperfeiçoamento no trabalho.

 

Os dados são importantes para a tomada de decisão, sobretudo, o chamado “custo x benefício”. Ou seja, conhecer os detalhes operacionais do seu negocio lhe permitirá organizar as informações necessárias para as tomadas de decisão. Assim, é possível dividir o caminho a ser traçado:

 

  1. Analisar o ambiente interno e externo do escritório; (qual nossa posição)
  2. Analisar os objetivos estabelecendo missão, visão e valores de curto, médio e a longo prazo; (o que desejamos alcançar?)
  3. Analisar as ações e caminhos para alcançar os objetivos traçados; (como fazer?)
  4. Análise diária do planejamento.

 

Para que isso ocorra é necessário desenvolver atividades eficientes, precisas e seguras gerando o diferencial no mercado.

 

No que tange ao planejamento como fator importante que interfere diretamente na gestão do escritório, percebe-se que, sem o devido planejamento, o escritório pode ser atingido de tal modo que prejudique seu futuro como advogado.

 

Assim é possível identificar a premissa negativa exposta sobre o planejamento estratégico, visto que de nada adiantar planejar se na prática os efeitos são divergentes. Assim, tudo se torna obsoleto quando o planejamento e a execução não são devidamente aplicados. Embora haja críticas sobre o planejamento estratégico e sua aplicabilidade nos escritórios de advocacia, não ultrapassam a questão de procedimentos.

 

Deixar os métodos de gestão que são necessários para o novo cenário da advocacia é, sem dúvida, fechar os olhos para o futuro. A compreensão que se exige dos advogados para agregar as metodologias aos sistemas e inovar, é de que a advocacia não é mais a mesma. Atualmente, ser advogado atuante no mercado exige muito mais do que ser qualificado apenas para uma simples advocacia.

 

Por isso, aproveite o início do ano para montar seu planejamento de modo cuidadoso considerando os pontos abordados neste artigo.

 

 

 

Kamille Ziliotto

Advogada especialista em Gestão de Escritórios e Controladoria Jurídica sócia da KZ Advocacia.

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment