Artigosproduto você

Produto você

O QUE? Como assim? Quem você pensa que é para me qualificar como produto?

“Sou um profissional que pavimentou a própria estrada, que conquistou cada resultado por mérito e agora sou chamado de produto! Tenha a santa paciência! Quanta empáfia!”

Se você se sentiu provocado com o título saiba que o propósito era esse mesmo: conquistar a sua atenção! E já que ultrapassou o primeiro impacto provocado pelo título que tal arriscar um pouco mais e continuar a leitura deste breve texto?

Você tem se dedicado com afinco a construir a carreira, certo? Fez escolhas, abdicou de momentos de lazer com família e amigos, fez investimentos financeiros sem estar certo de como iria de fato fazer para pagar as contas, investiu tempo, energia, sonhos. Não raras vezes se perguntava por que as coisas precisam ser tão difíceis ou sacrificadas? E agora? Agora que atingiu o topo da montanha você olha a amplitude da paisagem que se descortina e descobre que existem mais montanhas, talvez até mais altas que requerem maior arrojo, dedicação, determinação e técnica para escalá-las.

Aí você se dá conta de que a direção é mais importante que a velocidade. O foco é mais importante que pulverizar energia em diversas direções e atirar para todos os lados. Agora você se dá conta que a formatura foi a primeira etapa da construção da carreira e que é análoga a uma bela dama que exige ser cortejada todos os dias.

Tendo em vista a minha atividade de coach e mentora de capital humano, com elevada frequência ouço o relato de profissionais sobre os hercúleos esforços e investidas para construir a carreira. Depoimentos tingidos por sentimentos de fracasso e selados por frustrações por não terem atingido resultados desejados junto a parceiros comerciais, possíveis empregadores ou investidores.  E é então que te pergunto novamente:

Que produto é você? Será que o Produto Você atende às necessidades do mercado? Qual a imagem que o Produto Você passa ao mercado? A embalagem do Produto Você é atrativa e adequada ao seu publico alvo? O Produto Você tem acompanhado as mudanças e atendido às necessidades dos clientes? Você compraria o Produto Você?

Confira a seguir sete pontos de reflexão que certamente contribuirão para a construção do Produto Você:

 

1. IMAGEM É TUDO:

Achou provocativa essa afirmação? Por incrível que pareça é uma afirmação verdadeira, mas é preciso ir mais fundo na interpretação. A gênese da força da construção da carreira está exatamente na imagem, não naquela que o outro faz de você, mas a imagem que você faz a seu respeito.

O primeiro passo para conceber o Produto Você é refletir sobre a autoimagem, a imagem mental que faz de si mesmo. A autoimagem é a chave para a personalidade humana e do comportamento humano.  Maltz (1981, p. XI) sustenta que a autoimagem “estabelece as fronteiras das realizações individuais e define o que você pode ou não fazer. Expandir a autoimagem é expandir a área do possível. A aquisição de uma autoimagem realista, adequada, parece insuflar no indivíduo novas faculdades, novas aptidões e, literalmente transformar o fracasso em sucesso”.

A autoimagem está diretamente ligada ao autoconceito e a autoestima.  O autoconceito é formado pelas crenças identidade, capacidade e merecimento. Tais crenças podem ser impulsionadoras ou limitantes.

As impulsionadoras contribuem para a imagem positiva e as enfraquecedoras prestam um desserviço ao indivíduo, pois este passa a subvalorizar e abre espaço a reclamações, negatividade e fatalismo. E atenção: Poucas coisas são mais anti-sedutoras do que o coitadismo e a insegurança.

A autoestima é o valor que o indivíduo atribui a si mesmo e também como se estima (de estimativa) capaz de fazer frente aos desafios do  dia a dia. A maneira como nos vemos e nos relacionamos conosco mesmos é que define como será o relacionamento com o mundo.  A representação interna que cada um tem de si é que cria o posicionamento externo e a forma como outras pessoas orientam seu tratamento com referência à pessoa. Ninguém irá comprar seu talento e competência se não descobrir que você os tem.

 

2. ATENÇÃO A EMBALAGEM:

E como está a embalagem do Produto Você? O que ela está comunicando? É adequado e congruente com a qualidade do Produto Você? A embalagem do Produto Você contribui para destaca-la no mercado? Ela está apoiando o que você precisa para atingir seus objetivos?

Para que a embalagem do Produto Você seja impecável e projete uma imagem de qualidade, congruência e profissionalismo é importante que o figurino seja adequado para o tipo físico, a ocasião, o tipo de trabalho e que observe com cuidado a linguagem e o uso das cores. A cor é uma das formas mais instantâneas de transmitirmos mensagens sobre nossa personalidade, valores e intenções.

 

3. A ATUALIZAÇÃO DO PRODUTO VOCÊ:

Em tempos de mudanças aceleradas na tecnologia eu te pergunto: como está a atualização do Produto Você? O Produto Você tem acompanhado as mudanças do mercado? O Produto Você se reinventa ou está caindo na obsolescência?

A concepção, a qualidade e, sobretudo o ciclo de vida do Produto Você é determinado pelo acompanhamento das mudanças e das necessidades do mercado. Assim, para manter um Produto Você sempre em alta é fundamental atualiza-lo constantemente por meio da aprendizagem, aprimoramento e desenvolvimento de competências.

Se o Produto Você passar por constantes atualizações asseguro que terá um longo e saudável ciclo de vida e que isso equivale dizer que mais do que emprego, se cuidar com carinho do Produto Você, estará cultivando a empregabilidade.

 

4. O VALOR QUE O PRODUTO VOCE AGREGA:

Quanto o mercado estaria disposto a pagar por todos os resultados que você pode trazer por meio do seu know how, expertise, capital intelectual e social (sua rede de relacionamentos)?   Um dos fatores que mais influenciam o valor do Produto Você é o skill.

Skill é o conjunto de aptidões, talentos, habilidades ou capacidades. Designar a capacidade de concretização de forma ágil e eficiente uma determinada meta ou objetivo. É o conjunto de habilidades adquiridas por um indivíduo – competências técnicas e comportamentais – que formam a “expertise”, que é composta pela experiência, especialidade, competência em determinada área. Quanto mais elevado o skill tanto mais elevado tende a ser o valor atribuído ao Produto Você.

 

5. AS ESTRATÉGIAS DE DISTRIBUIÇÃO e PROMOÇÃO DO PRODUTO VOCÊ:

Em marketing a praça remete ao ponto de distribuição.  O “produto ou serviço só tem utilidade se posicionado junto ao seu mercado consumidor” explica Cobra (1985, p. 31). A promoção remete a todas as estratégias de comunicação com o mercado alvo.  Vejamos como tais conceitos se aplicam ao marketing pessoal.

Como está sendo feita a distribuição do Produto Você? A distribuição e a comunicação do produto, em se tratando de marketing pessoal, se dão em todas as esferas da vida.

Não nos damos conta, mas estamos nos vendendo e distribuindo a todo o momento: nas relações com a família, com amigos, com colegas de trabalho, na escola, no clube, na igreja, nas participações em eventos sociais, ou seja, em todos os lugares e a todo o momento.

É por meio da distribuição e comunicação que criamos e fortalecemos o networking, a rede de relações. O networking é especialmente importante para a distribuição e venda do Produto Você.

 

6. TECENDO E FORTALECENDO A TEIA DO NETWORKING:

Networking é uma palavra de língua inglesa composta por “net” que significa rede e “working”, trabalhando.

O networking pertence ao campo do capital social, redes de relacionamentos alicerçadas na confiança, na cooperação e na inovação que articulam e facilitam o acesso à informação, a conhecimentos e para a abertura de novas  oportunidades e possibilidades.

O networking é uma rede que vamos construindo delicadamente fio a fio, por meio de comportamentos que podem apoiar sua construção e fortalecimento ou atuar de forma contrária a ela.

A essência da construção do networking é a conduta adotada nas situações do dia a dia. Emprestou um livro, devolva, diz que vai ligar, telefone, é preciso fazer trabalho em grupo, faça a sua parte. A postura ética, respeitosa, ilibada, generosa e colaborativa são ingredientes fundamentais para a construção e, sobretudo para a manutenção do networking.

Você sabia que hoje uma das formas mais fortes de recrutamento e seleção nas empresas são as indicações? Ao indicar alguém para uma atividade é como se a pessoa assinasse em baixo em concordância. É como se fosse um aval. Você seria avalista de alguém que pudesse lhe trazer prejuízos? Assim vale observar e nutrir relacionamentos sociais edificantes e apoiadores, pois eles são fundamentais para a realização do projeto de vida.

 

7. A SUA IMAGEM E AS REDES SOCIAIS:

As redes sociais são  estruturas sociais virtuais que congregam pessoas ou organizações que se comunicam e conectam via internet.

Mas, se por um lado elas nos projetam para o mundo, por outro há que pensar sobre o que e como essa projeção é feita. E aí vem a pergunta: será que o que estamos projetando apoia a construção de uma imagem ética, equilibrada e confiável?

Que tipo de fotos e links você posta? Que imagem alguém do outro lado da tela está construindo a seu respeito a partir dos estímulos que você oferece?

Você sabia que o perfil nas redes sociais comunica fortemente os valores, crenças e propósitos da pessoa e que essa comunicação impacta diretamente na imagem que ela projeta de si? E tem mais, você sabia que as organizações tendem a olhar para as redes sociais para ter mais informações a respeito dos candidatos e colaboradores? (Clique aqui e leia também este artigo sobre ferramentas de marketing digital)

As páginas das redes sociais nos colocam em uma espécie de “vitrine” para o mundo e revelam a todo o momento as escolhas que fazemos que expressam dados sobre a personalidade, ideologias, crenças e valores.  Comunica como cada um quer ser visto e representado publicamente.

É importante manter uma imagem congruente com o que publica. Isso significa que de nada adianta publicar uma foto com terno e gravata em uma rede social voltada a contatos profissionais e em outra curtir e compartilhar mensagens de intolerâncias política, racial, sexual entre outros.

Tudo aquilo que você curte e compartilha oferece informações significativas sobre o seu perfil comportamental.

Reclamações e negatividade não são nada sedutoras ao vivo e nem tampouco em redes sociais. Pessoas que assim procedem acabam por levar a interpretação de que não dispõem de muitos recursos internos para enfrentar adversidades e ultrapassar os desafios que fazem parte da vida.

Portanto, cuide de sua imagem, ela é um patrimônio inestimável!  Gerencie com todo cuidado e carinho o maior de todos os empreendimentos: VOCE!

 

Erika Gisele Lotz

Mentora de Capital Humano da ÉOS, coach e consultora na área de gestão de pessoas, ministra programas de desenvolvimento pessoal e interpessoal voltados para educação corporativa e formação em liderança coach e equipes de alta performance em todo o Brasil.

Atua como docente em cursos de graduação e MBAs (Grupo Uninter, Opet, Instituto Euvaldo Lodi- IEL ente outros)  nas áreas de Gestão de Pessoas e Coaching. É Graduada em Administração pela Universidade Estadual de Maringá (1994), especialista em Fundamentos Estéticos para Arte-Educação pela Faculdade de Artes do Paraná (1998) e mestre em Turismo e Hotelaria pela Universidade do Vale do Itajaí (2002).

Possui formação em Coaching pela Coaching Foundation Skills in Coaching (2009) e Sociedade Brasileira de Coaching (2013) e Master Practitioner em Programação Neurolinguistica (2009). Autora das obras: Gestão da Qualidade de Vida no Trabalho – Editora Intersaberes; Clima organizacional e qualidade de vida no trabalho – Editora Positivo (2016) ;  Recrutamento e Seleção de Talentos (2015); Gestão de Talentos, Editora Intersaberes (2012); e Aprendizagem Organizacional, Editora IFPR (2013) e Coaching e mentoring (2014). Administração Estratégica e Planejamento, pela Editora IBPEX (2004). Atualmente cursa pós-graduação em Grafologia e Neuroescritura pela Universidad do Atlantico – Espanha.

 

Referências:

COBRA, M. Marketing básico: uma perspectiva brasileira. São Paulo: Atlas, 1985.

DILTS, R. Crenças: caminhos para a saúde e o bem-estar. São Paulo: Summus, 1983.

LOTZ, E. G. Gestão do projeto de vida. Maringá: Cesumar, 2017. (E- book).

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment